8.5.06
Pois...


... quando a cabeça não pensa,
quem paga é a...
flor!!!

Linda de morrer,
substitue as palavras?
Cheirá-la é viver,
substitue as carícias?
Senti-la na tua mão,
susbtitui o que não fizeste?

Não...
Um pequeno sorriso...
Sim...
Um pequeno sorriso...
publicado por Só para TI... @ 8.5.06  
5.5.06
Futuro
Podemos não acreditar,
mas o futuro está mesmo nas nossas mãos.
Melhor,
nas nossas cabeças!
O futuro é mesmo o resultado
das nossas acções no presente.
Para quê pensar tanto no passado?
publicado por Só para TI... @ 5.5.06  
3.5.06
Pedaço

Harmonia na forma,
excelência na arte de construir.

Lânguido na posse,
intenso nos sabores.

Lento e intrincado,
na volúpia que desperta.

Cândido no interior,
sombra escura no exterior.

Fremente de tudo,
aguarda que lhe toquem.

Efémero balbucia,
em gritos ardentes...

Amor!
Amor!

Sabes-me...

Foto de origem desconhecida.
publicado por Só para TI... @ 3.5.06  
2.5.06
Arrependimento...
Imagem de nenhures...

Arrependimento,
palavra cheia de dor e mágoa, ou talvez de excitação e exaltação?!
Sim,
porque para nos arrependermos de uma acção ou atitude,
temos que considerar que errámos,
ou que o resultado foi contrário ao que pretendíamos...
Se tal acontece,
arrependemo-nos de ter provocado dor e mágoa, será?
Ou ficamos excitados e exaltados, porque não aconteceu?

O tempo faz-nos olhar para trás e dizemos:
- Devia ter feito assim... (aprendizagem)
Portanto arrepndermo-nos quererá dizer que aprendemos e não voltamos a cometer o que considerámos um erro? Não...

"Se o arrenpendimento matasse..."
Eu estaria vivo para todo o sempre... e tu?

Ah! Lamento mas menti...
Há uma coisa que me arrependo:
- Não amar mais quem me ama, ou será amar mais quem não me ama?!
Já estou baralhado... amo-te.

Nota: Inspirado no programa de rádio da Antena 3, PROVA ORAL sobre o tema - Arrependimento.
publicado por Só para TI... @ 2.5.06  
27.4.06
Pôr do Sol algures...
... ou o jantar que nunca faremos.
publicado por Só para TI... @ 27.4.06  
25.4.06
Pegada em flor

Todo o peso em ti, não fará peso em mim.
Areia húmida que não pisaste,
foste sem vir, no caminho que percorreste.
Marca de um pé, que nunca estará ao pé.
Corpo que não sinto, nem vejo.
Aguardo silenciosamente pelos teus passos,
que me alegram os sonhos. Noites, tardes e
manhãs iluminadas pelo teu sorriso,
fazem a sombra da tua pegada.
Peso que esteve e marcou
indelevelmente a areia, que
já não está húmida, pelo Sol secou.
Aguarda nova maré, que possa apagar
a pegada que ficou...
Semeada ficou a esperança do amor,
que tenho em mim.
Água e Sol é tudo o que me basta,
por agora...
Espero e confio que a flor nascerá
mais uma vez...

Imagem de origem desconhecida. Pegada em areia húmida, com Plumeria - Frangipani.
publicado por Só para TI... @ 25.4.06  
23.4.06
Azul em negro


Terra plana, de deuses homens.
Deuses pelos homens tornados...
Terra fértil, húmida e quente,
que a água minou como toupeira.

Que o homem na sua ganância,
destruiu, esqueceu e mudou.
Ainda que nada haja de valor.

Velhos, baixos como jovens.
Língua rara, costumes queimados...
olhos que o tempo queimou ,
alma gigante vítima de cegueira.

No esquecimento toda a ânsia,
na vida do passado nada ficou.
Na memória ficaram com amor.

Para ti, Tons de Azul

Foto de Stephen Alvarez (refracção da luz num "cenote" sagrado, na província Maia do Iucatão, México)
publicado por Só para TI... @ 23.4.06  

Recente
Arquivo
Etiquetas

Estou no Blog.com.pt